Um novo e revolucionário método de reparação do concreto

Um grupo de estudantes da Universidade de Newcastle, Inglaterra, tendo em vista uma competição científica que ocorreria nos Estados Unidos, desenvolveu uma bactéria que preenche rachaduras em estruturas de concreto de forma mais eficiente que as atualmente utilizadas, pois, agindo de dentro para fora, preenche todos os espaços vazios da fissura, além de suas vantagens ao meio ambiente.

BIO_CONCRETE

A bactéria, apelidada de “Bacilla Filla”, é proveniente de uma outra denominada “Bacillus Subtilis”, essa que é facilmente encontrada no solo e é utilizada para validar a ação em estufas de esterilização para gás óxido de etileno. Ao ser lançada na fissura, ela desloca-se até o fundo, sendo esse percebido por conta da aglomeração das células, uma vez que não conseguem mais se mover. O processo de preenchimento começa com uma subdivisão desses organismos em três tarefas. Uma parte desses criará cristais de carbonato de cálcio, e as outras duas produzirão células filamentosas e uma cola bacteriana, que ao se combinarem formarão uma pasta que coagulará e endurecerá até preencher todo o vão.

Bacilla-FillaEsse projeto procura prolongar a vida útil das estruturas de concreto, visando diminuir os impactos gerados por sua produção, uma vez que 5% de toda a emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera provém de tal ação. Além disso, a bactéria só entra em ação a partir do momento que entra em contato com o concreto, logo que ela é ativada a partir do contato com o pH bem específico do material, não tendo o perigo de causar um impacto acidental no meio ambiente. Quando em locais com pH diferenciado, as bactérias não sobrevivem.

O recurso é bem eficiente para localidades que têm constantes abalos sísmicos, pois após a reparação das fissuras abertas pelo tremor, a possibilidade de queda diminui, no caso de edifícios, e a construção tem seu tempo útil prolongado, reduzindo a necessidade de uma reforma mais estruturada e, consequentemente, mais cara. É, sem dúvida alguma, um grande avanço na área da construção civil, tendo em vista todas as dificuldades para retocar rachaduras que logo depois, por não estarem interligados através das fibras filamentosas, acabam se soltando.

O grupo de nove alunos que desenvolveu o projeto, constituído por estudantes de Engenharia Civil, Ciências da Computação e Bioinformática na área da bioquímica e da microbiologia, disputou com outras 130 equipes de vários lugares do mundo e conseguiu o ouro da competição, mantendo o conceito da renomada Universidade de Newcastle, que já recebe pela terceira o maior prêmio.

Entretanto, maiores estudos ainda devem ser realizados com vistas à sua aplicação prática efetiva.

Fonte: Engenharia do Futuro

Postado por: Eng. Rafael Burin Fávero

Compartilhe esse post

EnglishPortugueseSpanish

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.

O seu cadastro foi enviado!

Muito obrigado, a sua mensagem foi enviada com sucesso. Por favor, aguarde nossa resposta.